Comburente, Fonte de Calor (ignição) e Reação em Cadeia

Tetraedro do fogo em Segurança do Trabalho
Comburentes
Nesta aula de nosso curso, iremos falar sobre sobre os outros elementos do tetraedro do fogo (já falamos sobre os combustíveis em Segurança do Trabalho) que são o comburente, as fontes de ignição (ou fontes de calor) e a reação de cadeia, através do estudo da condução, convecção e radiação.

Ao término desta aula de nosso curso online de Segurança do Trabalho, você já terá conhecimento sobre todos os elementos que caracterizam o fogo, estando vocês aptos para estudarem em detalhes os incêndios, riscos, medidas e precauções.

Tetraedro do Fogo: o comburente

O comburente é o elemento que, ao se juntar com o combustível, irá produzir o fogo. É o comburente que vai fazer com que o combustível entre em combustão, quebrando suas moléculas e o transformando em outras substâncias.

Assim, podemos ver o comburente como o 'alimento' da combustão. E como maior exemplo de comburente, podemos citar o oxigênio.
Para ilustrar a importância do comburente em uma combustão, podemos lembrar um ato comum, que é o de abafar o fogo (jogar algo em cima). Ao fazer isso, estamos eliminando o ar, o oxigênio, e sem esse alimento, a combustão cessa.

Outro exemplo é quando usamos o extintor de incêndio, que possui gás carbônico presente. Esse gás não é comburente, e ao ser colocado no ar, acaba por tomar o lugar do oxigênio, e sem o oxigênio, o fogo também acaba, pois no ar atmosférico existe uma proporção de 21% de oxigênio, e abaixo disso não ocorre combustão.

Outros exemplos de comburentes são o cloro e o peróxido, e o símbolo das substâncias comburentes está ilustrado na foto inicial desta aula de nosso curso.

Clique aqui para obter seu certificado de Segurança do Trabalho e entre já no mercado de trabalho


Tetraedro do Fogo: Ignição ou Fontes de Calor

A fonte de ignição, também conhecida por fonte de calor, é o elemento do tetraedro que vai dar a energia, ou calor, necessário para dar início ao processo de combustão, à combinação combustível + comburente.

A fonte de ignição necessária para dar início ao processo varia muito, e vai depender do combustível e comburente.
Um simples palito de fósforo, isqueiro ou um leve atrito podem ser suficientes para dar a energia inicial necessária para o álcool, gasolina ou pólvora pegarem fogo.

Já algumas reações químicas necessitam de energia elétrica para ocorrer combustão. Certos tipos de sólidos, como os metais, necessitam de um maçarico, com uma chama fortíssima, fornecendo altas quantidades de calor, para entrarem em combustão.

Até mesmo a temperatura ambiente pode ser suficiente para dar início ao processo de combustão em algumas substâncias, como a gasolina.

Reação em Cadeia - A Propagação de Calor

Existem três maneiras de ocorrer a propagação de calor: condução, radiação e convecção.

Entender bem os conceitos de propagação do calor é muito importante para estudar fogo e incêndio, pois assim iremos aprender como o calor se propaga e atinge outros locais. Precisamos saber como isso ocorre para poder evitar, em Segurança do Trabalho.

Esses conceitos básicos você poderá estudar através de nossa aula sobre Calor e Trocas Térmicas, aqui mesmo de nosso Curso online de Segurança do Trabalho. Porém, há alguns detalhes desse estudo que podemos usar no caso específico de incêndios.

Efeitos da condução de calor em incêndios - Propagação do incêndio

Na propagação por meio de condução, é comum que uma parede, piso ou teto que está sob chamas esquente muito e por meio da condução, o calor passar por um lado da parede/piso/teto para o outro, que não estava sofrendo os efeitos do fogo. Com isso, ocorre a propagação de um incêndio, de cômodo para outro.

Esse fenômeno é bem comum e fácil de se notar. Geralmente um local pega fogo, e como as chamas apontam para cima, começam a aquecer o teto. Com o teto muito quente, pode ocorrer desabamentos ou simplesmente o calor passar para cima. Mas de uma maneira ou de outra, o incêndio costuma sempre subir nos andares de uma casa, prédio ou fábrica.

Efeitos da radiação em incêndios - Incêndios secundários

Outro fato comum em incêndios é o chamado incêndio secundário.
Isso ocorre devido a energia luminosa liberada por um incêndio, que se propagam por meio da radiação.
Esse fato pode ser visto no incêndio do edifício Andraus, ocorrido em 1972. Neste incêndio, outros prédios próximo ao Andraus pegaram fogo também, sem haver contato, mostrando todos os riscos e perigos ocasionados pela radiação do calor. Leia mais sobre o Edifício Andraus.

Efeitos da convecção em incêndios - O risco da fumaça (o efeito chaminé)

Porém, ao contrário do que muitos pensam, o maior risco para um trabalhador em contato com um incêndio, não é o fogo em si, mas a fumaça. E dependendo do que está sendo queimado, entrando em combustão, essa fumaça pode se tornar cada vez mais tóxica e mortal.

Um grande problema da fumaça é a maneira e velocidade na qual ela se propaga.
Isso se deve à convecção, que como você leu, ocorre devido a diferença de densidade do ar por conta do calor. E é isso que provoca o chamado efeito chaminé que é facilmente visto em incêndios, que é quando a fumaça começa a subir pelos cômodos, indo para andares superiores.

E como ar e fumaça, ela se propaga por praticamente todos os lugares, como escadas, tubulações de ar condicionado, poço do elevador e por todo e qualquer orifício, o que dificulta bastante o trabalho dos bombeiros, que devem conter também a propagação da fumaça, e não só do fogo, como muitos pensam.

É bem comum e aconselhável que os profissionais de Segurança do Trabalham saibam disto e estudem, avaliem e tomem medidas para que essa propagação de fumaça seja evitada, em caso de incêndio, pois ela é a responsável pelo maior número de mortes em uma situação destas.

Um exemplo deste triste fato, foi o recente incêndio da Boate Kiss, na cidade de Santa Maria no Rio Grande do Sul, onde mais de 240 pessoas morreram, principalmente devido à substâncias tóxicas liberadas na queima da espuma que forrava o teto da boate.
Incêndio em Segurança do trabalho
Boate Kiss depois do trágico incêndio


3 comentários:

Anônimo disse...

O texto afirma que abaixo de 21% de oxigênio não há combustão, o que é um erro pois a combustão pode ocorrer até com 13%, e, em casos raros como o carvão mineral, até 9%.

Claudinei Silva disse...

Incêndio ocorre com até 16% de o2, abaixo é queima lenta

Claudinei Silva disse...

Incêndio ocorre com até 16% de o2, abaixo é queima lenta

Texto 100% original e todas as imagens são livre para uso e foram obtidas em http://commons.wikimedia.org